sábado, 7 de janeiro de 2012

Roleta russa!

affffffff maria, mamãe d DEUS!!!!
+ q direi eu?
Se nada sei, do q sei!
Se no inicio me perco!
+ no fim, sempre volto ao inicio!

Meu sentimentos é 1 baralho, embaralhado!
Emaranhados num jogo d roleta russa!
Sento numa mesa d sinuca,
Logo me perco, no cassino da vida!

+ ainda sim, me vem 1 injeção d ânimos mortos...
Num passado vivo, dum futuro morto! Finado.
Ainda sim!
Levo há memória, alimentos vivos, d desejos mortos!

Como abutre!
Vivo da carniça, d sonhos mortos!
Ainda sim!
Dalem dos muros, cercas d cemitério!
D meu sepulcro, enxergo vida,
Do lado d fora, do cemitério...

Como um animal selvagem,
Fico d cara grudada,
Na gélida vidraça d meu caixão!
Eu prefiro a dor da vida!
Que a anestesia, da ilusão!