quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Meus ouvidos captam, Meus próprios murmúrios



Meus ouvidos captam
Meus próprios murmúrios.
Em meio a sonhos
Perturbadores da noite,
Quando cai sono profundo
Sobre meus olhos.

Temor e o tremor se apoderam
De mim e fazem estremecer
Todos os meus ossos.

Pois o sofrimento brota do pó,
E as dificuldades
Nascem do chão.

As trevas vêm sobre
Mim em pleno dia.
E a injustiça, cala minha boca.

Pois fui ferido,
A desgraça e
A destruição chegou.

No entanto, o homem nasce.
Para as dificuldades.
Apelei para Deus;
Apresentei a ele minha causa.

Porque os leões podem Rugir e rosnar,
Mais até os dentes dos leões
Fortes se quebram.
E morrem por falta de presa.

As trevas vêm sobre mim em pleno dia.
E a injustiça cala minha BOCA........