quarta-feira, 13 de outubro de 2010

tristeza do geca


Tenho de tudo.
Mais nunca tenho nada.
Tenho prazer em tudo,
É a vida que não vale nada.

E a busca da imensidão.
É a tristeza de um coração.
De um ser sobrevivente,
É a vida sem satisfação.

E sonhar de olhos abertos.
É dormir na solidão.
É olhar para um espelho,
Rir de tristeza.

E lembrar de um tudo.
É lutar por um nada.
E morrer para a vida.
É viver para nada.

4 comentários:

  1. Muito bonito seu poema Waltin!
    A respeito de sua opinião que deixou em meu blog, eu a respeito viu! Cada um se expressa de uma forma! Só não pode exagerar! hehe...
    Abraços e continue escrevendo tão bem assim...
    Até.

    ResponderExcluir
  2. Ter e nada ter, sonhar sem dormir, morrer mas viver é tudo o que somos, pois ha dias em que morremos mas em outros estamos mais vivos do que nunca, somos um povo que sonha, sonha por um mundo melhor, por um país menos corrupto, em ganhar na loteria e etc...
    Oh povinho que sonha!!! Você expresou de forma clara e objetiva os momentos de nossas vidas, da vida humana, não sei é isso que quis passar, mas isso foi o que me veio a cabeça... Muito legal!!! Um abraço

    ResponderExcluir
  3. Pricila!
    exagerado é oq todos me dizem. rsrsr só não sei o pq!
    pq?

    valeu pq elogio gatinha!

    ResponderExcluir
  4. afffffff!
    gata Patrícia.
    q direi?
    se vc consegue desvendar-me por inteiro?!
    rsrrs
    bjos gataça

    ResponderExcluir