domingo, 3 de outubro de 2010

decadencia humana


affff, maria! parei, pensei, eu refleti!
e cheguei a seguite conclusão, a mesma d Renato russo, cujo numa musica exprimiu seu desabafo.
vivemos num mundo doente!

hj tudo está do avesso!
ninguém se assusta ao falarmos, fulano usa intorpecentes. pelomenos em minha volta, tento enxergar quem não usa! pq quem usa é a maioria!

hj na sociendade, no mundo contemporaneio, é feio ser-mos honestos, se tratamos uma mulher com respeito, e carinho! elas mesmas se assustam, e pergunta se somos bixa! rsrsrs
d fato!
as mulheres contemporaneas, preferem ser desejadas, q amadas. pq se trato uma mulher com amor e carinho, logo sou despresado! + se as trato feito meretriz, logo sou amado.

trasem para sí, a paga da vida desregrada, impureza e lácivia, da corrupsão moral... desejam para sí, o respeito dos homens 100 carater.

aos poucos estamos destruindo a familha, e a familha é a base da sociedade! 100 familha! 100 sociedade.


100 amor ao procimo, e principalmente 100 amor a nós mesmos! descemos ao fundo do poço, agimos, vamos contra nossa própria natureza, pra satisfazer-mos os outros na cama.

digo por mim!
MISERÁVEL HOMEM Q SOU!
Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem.
Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço.

Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo.
Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros.
Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?

BYÁÁÁ!
perdoe-me por + este blá blá blá!
devaneios loucos, deste pobre louco.
bjos

Nenhum comentário:

Postar um comentário