sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Em memórias de 1 suicida


Ameia noite, o sol brilhava no horizonte e um velho negro com sua cabeleira loura, sentado numa pedra de madeira contemplava de olhos fechados às belezas da natureza. Ao seu lado direito, um cego lia um jornal sem letras de cabeça para baixo;
Atrás dele um jacaré voava em grande velocidade e um pouco adiante um elefante descansava a sombra de um pé de couve. A sua esquerda um mudo que não falava dizia:
-O mundo é uma bola quadrada que navega em um barco sem fundo sob as ondas de um poço sem água.
Era meia noite e o sol brilhava nas trevas de um dia claro, sentado em pé numa pedra de madeira calado ele dizia.
-Prefiro a morte que perder a vida.
Longe dali, bem perto, num bosque sem árvores, onde os passarinhos pastavam alegremente pelo ar e as vacas saltavam de galho em galho a procura de seu ninho, um careca enquanto penteava sua linda cabeleira dizia:
-Os quatros poetas do mundo são três:
Moisés e Elias.

2 comentários:

  1. auhahahuahahuahu
    so vc mesmo!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. kkkkkk
    uai, normal fi!
    quem me conhece num se açusta né?! rsrsrs

    ResponderExcluir