domingo, 1 de agosto de 2010

Cicatriz


O que outrora eram trevas!
Hoje, o sol brilhou, permanesso
De olhos abertos, pois a luta apenas começou...

Sonhos, esperanças.
Meu coração bate. Corre, feito criança!
As cadeias das trevas. A solidão!
Já paguei minha fiança.
Liberto está, este pobre coração.

Condenado fui à morte!
Pelos meus sonhos, alegrias...
Por este crime tão 100 perdão.
Inludido fui!
Por minha própria ilusão.

Minhas batalhas.
Meus sonhos realisados!
Pesadelo, somente a dor,
Da triste realidade...

Em meu peito, bate um coração calejado.
Deformado pela dor.
As angustias se foram!
Mas a cicatriz, aqui ficou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário